segunda-feira, dezembro 19, 2011

CONCORDÂNCIAS


Beth recebeu da tia, Cynthia, um pacote de livros, “de uma bibliófila a outra”. Com o carinho que lhe é próprio, a tia enviou junto um livreto, uma concordância do Novo Testamento datada de 1844 e com o nome da proprietária original em esmerada escrita: C. F. Watkins. O livro veio acompanhado de uma cartinha curiosa.

Tupper Lake, NY
July 23, 1937
Querida Cynthia,
Um pequeno livro está chegando para você, hoje, pelo correio. Não é especialmente bonito, e não tem nenhuma figura ou diálogos que o faça interessante. O que o torna significativo, no entanto, é o nome de sua trisavó, a quem o livro pertenceu. Ele teve grande valor para ela, pois a ajudava a achar os lugares que ela desejava ler na Bíblia.

Seu nome era Cleópatra Frissell Watkins. Sua filha recebeu o nome de Hyla Cleópatra Watkins, a qual foi sua bisavó. O filho desta foi Byron Franklin Stowell, seu avô. O filho dele é Austin Lovett Stowell, seu pai. E você é sua pequena filha, a primeira a portar o nome Watkins depois de muito tempo. Quem sabe, poderá ser a sua trisneta quem o receba, de novo, a uns cem anos de agora.

Tudo isso é meio confuso, no momento, para uma pequena garota, mas você cresce rápido, e eu espero que se alegre com a posse deste livro porque o nome Watkins pertenceu a tantas pessoas queridas.

Nós nos alegramos ao ouvir que vocês se mudaram para a nova casa. Espero que vocês estejam bem e contentes nela, e que Ela seja o lar dos Stowell por muitos e muitos anos.

Hyla e eu estaremos partindo em duas semanas em viagem para a China, do outro lado do mundo. Por favor, transmita nossa afeição ao seu pai e sua mãe, e a todos um o desejo de um lar feliz.

Sua tia avó,
Ada Stowell Waters


Ada, a signatária da carta, foi casada com o Rev. Dr. Phillip M. Waters, pastor metodista e por muitos anos Presidente do Gammon Theological Seminary, em Atlanta, Geórgia. O casal teve três filhos, Phillip (que foi pastor em White Plains, NY), Florence (que foi missionária na Índia) e Hyla, também conhecida como Hyla Doc, graduada em filosofia e em medicina, que foi missionária na China e na Libéria.

Os livros Hyla Doc: Surgeon in China Through War and Revolution, 1924-1949 e Hyla Doc in África, 1950-1961, organizados por Elsie H. Landstrom são preciosidades para instrução e inspiração missionária.

Certamente a importância do livro está mais na ferramenta para ler a Bíblia do que em nomes de família. Não obstante, nomes são importantes, tanto os da Bíblia quanto os nossos. E é aí que eu entro na história. Há umas duas décadas, implantando uma igreja nos EEUU em um esforço conjunto de oito diferentes etnias e denominações que dividiam um mesmo local de culto, eu conversava com o pastor paquistanês. Falando sobre sua experiência com Jesus, ele contou que seu pai havia sido convertido ao evangelho por instrumentalidade de um tal Dr. Waters.

Wadislau Martins Gomes

2 comentários:

Sergio Menga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sergio Menga disse...

Que linda história. Confesso que me vieram lágrimas aos olhos. Aliás, ando chorão!

O mais lindo em tudo isso, é que o nosso Deus mesmo, nos diz em Sua Santa Palavra, que Ele mesmo nos escolheu e nos deu um novo nome.

De fato, como é importante o nome! Pois ele fala de nós e reflete o que somos e o que deixamos de fazer.

Certamente, que essa família abençoada, com histórias incríveis, levam também o nome do nosso amado Senhor e Salvador Jesus Cristo. Comprova-se isso, facilmente, pelos frutos em suas vidas.

As saudades são imensas. Dói no peito!
Pr. Menga